Cultura / 10-04-2019 40

António Ribeiro dos UHF apresenta livro sobre “stalking” na Biblioteca Municipal de Vagos

Da loucura da perseguição à incompetência da justiça, este é o livro que revela os sentimentos de um homem desesperado, por não conseguir tomar as rédeas do seu destino, fustigado pela sombra sempre presente de uma perseguidora.

No âmbito da programação “Entre Flores, Livros e Artes” irá decorrer, no dia 13 de abril de 2019, pelas 15h30, na Biblioteca Municipal João Grave, a iniciativa “À Conversa com António Manuel Ribeiro” (vocalista dos UHF), onde será apresentado o seu livro “És meu, disse ela”. Na obra, António Manuel Ribeiro conta a história do que viveu entre 2003 e 2012, período durante o qual uma fã o perseguiu. Este é, portanto, o relato de uma história de stalking verídica.

A iniciativa conta com o apoio no âmbito da Programação Cultural em REDE – CIRA/Portugal 2020. A entrada é livre.

Sinopse

António Manuel Ribeiro conta toda a história do pesadelo que viveu entre 2003 e 2012. “Cristina/82”, uma mulher de quem nada sabia, começou a persegui-lo e a atormentá-lo, num cerco infernal. Atacou-o com milhares de mensagens, chamadas, esperas, perseguições, delírios inimagináveis. Uma história tão mirabolante quanto verdadeira.

Alvo de stalking, um dos primeiros casos conhecidos em Portugal e o primeiro a ser julgado, António Manuel Ribeiro foi obrigado a travar uma luta hercúlea para voltar a ter vida.

Da loucura da perseguição à incompetência da justiça, este é o livro que revela os sentimentos de um homem desesperado, por não conseguir tomar as rédeas do seu destino, fustigado pela sombra sempre presente de uma perseguidora. Mas o homem resistiu e triunfou, porque nunca desistiu. Agora voltou a ser livre, escapando a um caso que poderia ter acabado em violência grave, e que, em muitos outros casos, conduziu mesmo à morte.

Sobre o autor

António Manuel Ribeiro nasceu em Almada, em 1954. Fez o liceu entre as duas margens do Tejo. Podia ter sido arquiteto, viveu (bem) da pintura nesses anos que antecederam a revolução de abril, mas o destino ofereceu-lhe a Faculdade de Direito em 1974. Farto da guerrilha política, foge para Filologia Românica em 1976. Estagia no jornal Record, onde fica até 1980.

Fundou os UHF em 1978 e três anos depois o país rende-se ao hino “Cavalos de Corrida”.

Integrou, como independente, as candidaturas presidenciais MASP I e II, de Mário Soares, e as primeiras de Manuel Alegre, Fernando Nobre e Paulo de Morais. Em 1993, é eleito deputado municipal em Almada.

No final de 2012, foi nomeado embaixador do Direito de Autor da Sociedade Portuguesa de Autores. Assina crónicas em jornais e rádios, sem regularidade.

Bibliografia: Todas As Faces de Um Rosto (poesia, 2002); Se o Amor Fosse Azul Que Faríamos Nós da Noite (poesia, 2003); Cavalos de Corrida – A Poética dos UHF (antologia, 2005); O Momento a Seguir (poesia, 2006); Por Detrás Do Pano (crónicas, 2015). És Meu, disse Ela, é o primeiro título que publica pela Guerra & Paz.

Discografia: Está representado com os UHF em 171 edições, incluindo compilações com outros artistas. A solo editou: É Hoje/Agora (1987); Pálidos Olhos Azuis (1992); Sierra Maestra (2000); Somos Nós Quem Vai Ganhar (2003).

Fonte

Notícias Relacionadas